domingo, 21 de dezembro de 2014

Não, não sei!

Quando eu era pequena sonhei várias vezes em ser famosa... várias vezes mesmo. Sonho que se sonha a noite quando dorme...
Sempre gostei de teatro e pensei que queria ser atriz. Até que numa aula de teatro tive que fazer uma cena de beijo.
Eu?! Beijar alguém assim?! Não, isso não é pra mim...
Aí desisti...
Algumas tias pensaram que eu seria jornalista. Fiz curso de Comunicação Cultural e amei, mas não pude me dedicar como gostaria... Então jornalismo também não deu ainda!
Formei-me em Artes Visuais, amo recortar e colar, mas com isso não tenho nenhuma pretensão!
Cresci e virei adulta. Comecei a perceber  o quanto é difícil ser adulto. Em uma das cadeiras que trabalho hoje, até que tenho alguns segundos de fama. E experimento as nuances mais absurdas. Isso porque são só segundos hein... imagina se eu fosse famosa de verdade... ?!!?!
Então descobri que ser famosa também não é pra mim...
Porque tem que ser adulto demais pra isso! E não é adulto no sentido de maturidade não, que isso eu tenho acho que antes de ser adulta de idade...
Pra ser famoso tem que ser muito adulto no sentido da malícia, das chatices, da politicagem, dos interesses, da visão tão modo-socialyte-on ! Nossa que chato!
Lembro até hoje de quando tinha 10 anos, 11 meses e 364 dias... chorei e esperneei morrendo de medo de fazer 11 anos porque minhas coleguinhas diziam que aos 11 você deixa de ser criança e passa a ser pre-adolescente!
Não, eu não queria deixar de ser criança!
Não, eu detesto as chatices, eu detesto ter que desenvolver minha malícia, eu detesto perceber que o ser humano é interesseiro, eu detesto ter que aprender a desconfiar das pessoas...
E hoje eu percebi: "parece que eu já sabia disso com 10 anos, 11 meses e 364 dias".
Putz... Como é chato ser adulta!
Quero voltar a ser criança!
Quero voltar a poder dizer: não, não sei!

sábado, 1 de novembro de 2014

Estética é carinho!

Nada melhor do que carinho de mãe!
Alias, nada melhor do que MÃE!
Mãe sente de longe quando a gente mais precisa e não mede esforços para se fazer presente do nosso ladinho !
Minha mamãe chegou!
Ela que é meu alterego , meu ego auxiliar e, por vezes, meu próprio ego, desperta em mim meu lado melhor! Sua presença e seu brilho único me desenvolvem naturalmente!
Não podia deixar de fazer um café da manhã com carinho!
Flores, frutinhas, pãozinho integral, tudo adornado com muito carinho!
Estética traduz carinho! Carinho demonstra gratidão!
Aproveite essa dica de hoje e coloque um pouquinho de arte em forma de carinho no seu dia! Seja para demonstrar gratidão a alguém, seja para simplesmente agradecer a si mesmo! Faça e desfrute dos bons fluidos que este gesto carinhoso pode despertar na sua alma!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Perdida&Achada


Depois de me perceber num Árido Sertão, um novo EU nasce - contemporaneamente a esta nova fase do "Arte a Gosto".

Meu propósito é escrever diariamente, por dois motivos:
1. Cultivar minhas flores internas
2. Salpicar um pouquinho de arte na vida de meus leitores

Hoje, o que percebi como Arte no meu dia chama-se "Reencontro", nas entrelinhas: "Conspiração a favor de um desejo legítimo".

Após perceber-me num Árido Sertão,  procurei ávidamente reencontros - em vão.

Percebi, hoje porém, que se este desejo é verdadeiro e legítimo, o cosmo conspira em favor dele.

Eis porém, que minha querida turma de Liderança Coach, conduzida pelo mestre Master Coach Felipe Mussalém, quando eu menos esperava resolveu marcar um reencontro!

Noite agradável, bom papo, excelente comida, muitas gargalhadas!!!

Que mais eu poderia entender deste reencontro senão uma conspiração cósmica ao meu favor?
Mais uma prova para mim de que "quem procura, acha"!

E, portanto, nada mais artístico do que a natureza conspirar em favor de um sentimento profundo.

"Ah... como eu queria este momento!"

Obrigada Colegas! A noite foi especial!
Vocês contribuíram para regar meu jardim!

Obs: no árido sertão só o que se vê são pessoas vazias. Que bom que a chuva passa de vez em quando para nos mostrar pessoas "cheias" também!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Árido Sertão

Árido Sertão... aqui estou!
Como é difícil perceber...
Difícil de demorado.
Difícil de dolorido.
Difícil, demorado e dolorido perceber que nesta terra a água é escassa e as condições precárias para o cultivo das flores. Parte de mim tem dado frutos, sim. Que não são, porém, os mais gostosos ou bonitos... Mas outra boa parte está murcha, seca, quase infértil.

Por isso, hoje retorno ao blog: que é terra boa, propícia, fecunda, provável.
Neste árido sertão não há arte, não há cultura, não há relações de afeto, não há.
Neste árido sertão a vida é fútil, as pessoas são vazias, humildade é escravidão.
Neste árido sertão os valores são somente os financeiros e a água não é mineral.
Mas uma coisa é boa: Como em todo sertão, por mais árido que seja, ouro se encontra, sim!
Literalmente no fundo do poço, mas está lá. E a grande questão é que a aridez é tamanha e o ouro tão incomum que não é valorizado como tal. Aí, ok! Sobra mais para mim! Ou não... Pois quando não há demanda, pode não mais haver a oferta. Por isso só me restam duas coisas:

- 1. Torcer para que minha demanda seja suficiente
- 2. Tentar despertar a demanda nos outros

E é por esta segunda opção que estou aqui!
De duas, uma:
- se não servir para influenciar
- servirá para me aliviar, para me alimentar, para me hidratar!

Por isso, para não secar de vez, tentarei aqui fazer meu fruto crescer!