quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Aponte para você mesmo!


Estou lendo o segundo capítulo do livro "O Efeito Sombra" (Chopra; Ford; Williamson, 2012) e recordei-me de uma dinâmica que participei ainda na pós-graduação em Arteterapia. Resumidamente e sem me ater à fundamentação teórica, funcionava assim:

1. A facilitadora disse para eu pensar em uma pessoa do meu convívio ou alguém famoso desde que fosse uma pessoa que eu repudiasse.
2. Eu escrevo numa folha 3 características que eu mais repudio nesta(s) pessoa(s).
3. Eu colo a folha em que escrevi estas 3 características no meu peito e vou para uma roda.
4. As pessoas da roda passam na minha frente, me apontam seus dedos e me acusam dramaticamente de ter aquelas 3 características.
5. Para finalizar o grupo faz o processamento da dinâmica, como de praxe.

"A parte obscura de nós, que repudiamos, se apresenta continuamente através da tela dos que estão ao nosso redor" (Ford, 2012, p.63)

Hoje, lendo o livro que traz exatamente a mesma mensagem que a dinâmica supracitada, aproveitei para refletir sobre tantos encontros mal-sucedidos que atravessaram meu caminho nos últimos 4 anos.

É importante (e edificador) entender que o que vemos nas pessoas é nosso, em primeiro lugar! Só vemos porque já reconhecemos aquilo em nós. É impossível achar alguém arrogante sem conhecer o que isso significa. Ou seja, a arrogância está em você, certamente. Talvez esteja também em quem você julga... mas está primeiramente em você!

               "Se tivéssemos intimidade com nossos impulsos sombrios - se soubéssemos que egoísmo, raiva, ganância e intolerância têm mensagens importantes a transmitir -, prestaríamos atenção à presença deles, como um amigo de confiança que bate a porta. Mas quando alienamos nossa sombra; quando por medo nos recusamos a reconhecer ou receber as mensagens que ela está tentando enviar, esteja certo de que faremos algo ou nos envolveremos com alguma coisa que trará o lado sombrio à superfície." (Ford, 2012, p.61)
Claro, desenvolver intimidade com nossos sentimentos sombrios não é tarefa fácil. Mas é a única maneira de contactarmos nossos verdadeiros talentos, nossa verdadeira LUZ!

Por isso, quando desejar julgar alguém, aponte primeiro para você mesmo. Acuse-se do que acusaria o outro e reflita sobre como esta característica pode contribuir para seu desenvolvimento em vez de omiti-la. Este gesto nada mais é que A Ponte para você mesmo!

#ficaadica

Referência Bibliográfica:
Ford, Debbie. Fazendo as pazes com os outros, com o mundo e consigo mesmo. In: 

Chopra, Deepak; Ford, Debbie; Williamson, Marianne. O Efeito Sombra. São Paulo : Lua de Papel, 2010. p.45-75


Um comentário:

  1. Querida Bianca, certamente quando se repudia alguém este sentimento tende a acompanhar a indiferença, a repulsão e por fim, como citou, a omissão. Pensar em enfrentar pode não valer à pena, mas obrigada por refletir sobre a possibilidade de tirar algum proveito disso! Parabéns pela reflexão!

    ResponderExcluir

Não deixe de comentar! Sua opinião é uma valiosa contribuição para manutenção e melhoria do Blog!